O que é essa tal de Tenepes? (1/4)

Explico nesse post o que é Tenepes pois o assunto não é muito conhecido.

Esse post não é um relato pessoal das minhas experiências e aprendizados. Sou super iniciante na Tenepes.

Estudar o tema e me preparar levou 3 anos. Me envolvi com a prática da Tenepes, me preparei, deu errado, me esforçei, superei, retomei… Nesse período, assisti e li quase tudo que existe sobre Tenepes, fui até Foz do Iguaçu, fiz cursos práticos, participei de laboratórios e dinâmicas… O conteúdo do post vem das minhas anotações pessoais, cursos, conversas, vídeos durante todo esse tempo.

Apesar de ser um compilado de um conjunto imenso de informações disponíveis por aí, achei melhor dividir o assunto em 4 posts:

  • O que é a Tenepes? Esse post que você está lendo.
  • Tenepes é igual ao Reiki? Usei o Reiki como comparação pois me fazem essa pergunta frequentemente. É uma dúvida real das pessoas.
  • A energia usada na Tenepes é a mesma do Reiki? Já essa, é uma dúvida dos terapeutas holísticos. Novamente usei o Reiki mas serve como base para um entendimento mais amplo de outras práticas espirituais.
  • No último post faço um resumo dos livros disponíveis sobre Tenepes.

Aproveito para pedir aos colegas da conscienciologia um pouco de paciência pela minha falta de rigor e a opção por usar palavras que facilitem o entendimento.

Tenepes é uma prática assistencial multi-dimensional. O público alvo desses posts são os que querem entender o que é a Tenepes para além dessa descrição superficial que acabo de dar. Não foram escritos para os curiosos de fim de semana. É para quem leva a sério questões como evolução, trabalho com energias, consciência, ajuda ao próximo.

No final dessa página você encontra alguns vídeos curtinhos que selecionei sobre o tema da Tenepes.

PORQUE ENTREI NESSA DE TENEPES? E PORQUE VOCÊ DEVERIA FICAR ATENTO
Quando começei a fazer atendimentos terapêuticos começei a atrair muitas consciências (espíritos). Sem querer, trazia essa turma para minha casa. Isso daí não é azar meu nem exclusividade de médiuns. Acontece com qualquer um que trabalha com gente incluindo aí psicólogos, professores, palestrantes, terapeutas holíticos etc. É um processo chamado de ISCAGEM. Clique aqui para baixar um pdf que explica como é esse processo de iscagem lúcida.

Eu queria encontrar uma prática para ajudar essas consciências (espíritos). Não queria “enxotá-las” ou ficar nessa de defesa energética pois tem algo aí de vitimização e belicismo.

Existem outras práticas para esse mesmo fim mas decidi pela Tenepes. Apesar das restrições, ela proporciona vários benefícios que listo abaixo.

O QUE É A TENEPES?

Tenepes (Tarefa ENErgética PESsoal) é a transmissão de nossas energias, auxiliada por um amparador. Um amparador é um espírito, um guia espiritual, uma consciência extra-física especializada nessa prática. A Tenepes acontece em hora marcada, diariamente, por 50 minutos e destina-se a ajudar seres vivos ou já desencarnados. Na verdade é bem mais amplo que isso, mas já serve como introdução para partirmos daí.

Via de regra, a Tenepes é feita em casa. Sentado, deitado ou em pé. Sozinho, sem marido, mulher, filhos, cachorro, gato, ninguém do lado entrando ou saindo do quarto. Usei a palavra “sozinho” mas para ser rigoroso, não se pratica a Tenepes sozinho pois ali estarão você fisicamente, e multi-dimensionalmente o amparador (guia) e os que serão assistidos.

A TENEPES VEM DE ONDE?

Tanto no oriente quanto no ocidente, existem incontáveis práticas onde se exterioriza energias e um amparador (guia espiritual) faz uso dessas energias. Práticas do budismo, do catolicismo, práticas ocultas ou abertas, inúmeras meditações, quase tudo que tem por aí segue esse formato: A pessoa exterioriza energias e um espírito vai manipular essas energias. Na maior parte das vezes essa exteriorização de energias acontece com baixo grau de lucidez e controle. Por “baixo grau de lucidez” quero dizer que o praticante não vê nada o que está acontecendo. Eu mesmo fazia algumas dessas práticas meditativas sem saber direito o que estava fazendo e só depois é que vim entender o que acontecia de fato.

A Tenepes é uma dessas práticas que como outras vai ajudar quem recebe as energias e também vai ajudar o praticante que doa suas energias.

Seu propositor, Waldo Vieira, nos diz que a Tenepes era praticada de forma anônima, mas apenas em 1966 veio ao público. Escreveu um manual que se encontra gratuito para download mais abaixo nessa página. E desde então só faz crescer a quantidade de praticantes aos quais chamamos de tenepissista.

OK. MAS QUAL O FOCO? QUAL O OBJETIVO?
O principal foco está em ajudar no processo de reurbanização extrafísico do planeta.
Você será uma peçinha. E uma vez participando você aprende e tem a oportunidade de evoluir.

Seus ganhos pessoais não são o foco principal, mas há ganhos para quem pratica. A Tenepes vai acelerar e estimular seu desenvolvimento mental, ajudando a criar uma lucidez multi-dimensional para o dia a dia. Com tempo de prática vamos entendendo nossos pontos fracos que precisamos superar, e os traços fortes em nossa personalidade que estão adormecidos, ociosos e que deveríamos fazer mais uso. Em poucas palavras: ela acelera a evolução pela via do desenvolvimento mentalsomático.

Quando Waldo Vieira diz que “A Tenepes é um ambiente de criação de sinapses ortopensênicas assistenciais” está querendo dizer que numa sessão de Tenepes ficamos em campo saudável que nos ajuda a pensar corretamente (orto), a ver e entender um pouco mais do que de costume. Acontece de forma sutil. E dia após dia, a medida que praticamos, o parapsiquismo se desenvolve.

O QUE ACONTECE NUMA SESSÃO DE TENEPES?

O que acontece durante a sessão é uma assistência multi-dimensional.

Você observa o que acontece (dentro das suas limitações e capacidades) e depois vai anotar e pensar a respeito. A forma que a assistência acontece é bem ampla. Não vou colocar detalhes aqui pois um dos principais erros ao se fazer a Tenepes é praticá-la esperando um show de fenômenos extra físicos do além. Mas sim, muita coisa acontece e é diferente para cada tenepissista. Cada um tem uma “especialidade” assistencial. Depende das suas energias, da sua experiência, das suas vidas passadas, do ambiente, do assistido, do amparador, do seu parapsiquismo, da sua missão de vida, das coisas que lê e assiste, com quem anda, como cuida da sua vida.

Depende também do seu tempo de prática. O Manual da Tenepes e seus praticantes relatam 3 estágios, mas adiciono outros 2 estágios:

  1. Estágio pré-inicial. É a fase de preparação. Estudo do tema. Organização da vida. Meu caso foi assim: Na primeira semana o amparador me recomendou suspender o processo e focar em organizar minha vida pois do jeito que eu estava era impossível continuar. Levei 1 ano e meio me preparando e retomei. Mas tem gente que começa sem tanta preparação e nem por isso a Tenepes dele é pior ou melhor.
  2. Estágio inicial. Tomada a decisão de fazer a prática, se inicia a Tenepes. Esse estágio leva em média 6 meses. Vão bater a poeira extra-física. O praticante, as pessoas mais próximas, a casa, são os principais assistidos. Hoje, em 2019, me encontro aqui no estágio inicial. Tenho pouco mais de 2 meses de prática. Sou um jejuno. É uma preparação da minha própria psicosfera para conseguir ajudar os outros.
  3. Manutenção. A consolidação da prática ocorre em cerca de 3 anos. Nesse período há uma expansão do grupo que é assistido.
  4. Evolução. Mais de 3 anos.
  5. Ofiex. Depois de 20 anos de prática.

Importante dizer que inevitavelmente e naturalmente, a Tenepes se torna prioridade da vida do tenepissista.

Mas o que acontece como RESULTADO vai depender PRINCIPALMENTE da sua INTENÇÃO e do seu ESFORÇO. Sim, depende de esforço pois é puxado. Requer muito estudo e reflexão. Não é brinquedo. Se você não gosta de refletir, pensar. Se não gosta de estudar, esqueça, não é para você.

QUAIS SÃO OS BENEFÍCIOS DA TENEPES?

Certa vez perguntei a Pedro Nunes, um colega praticante de Tenepes, qual era o principal benefício que ele tinha com a Tenepes. E ele me respondeu:

“É na prática da Tenepes que aprendo a ser mais altruísta.”

Veja que benefício profundo. Isso já deveria ser benefício suficiente. Mas vou enumerar abaixo outros benefícios que cataloguei. Lembrando que o mais importante é o benefício para as consciências (espíritos) assistidas(os). Os benefícios pessoais do praticante são secundários.

  • Repercussões positivas no trabalho, na família, no bairro, na cidade;
  • Passar de uma isca inconsciente para um processo assistencial de iscagem lúcida consciente; Clique aqui e baixe um pdf que explica o que é uma isca lúcida.
  • Receber doses diárias de informação, temas, assuntos, comportamentos, hábitos a evoluir. Tudo vira material que orienta a reforma íntima do praticante (reciclagem existencial);
  • Ganhamos lucidez quanto aos fatos importantes da vida;
  • Libertação. Pois é… com lucidez vem liberdade. Mas liberdade não é fazer o que dá na telha. Liberdade rima mais com discernimento do que com vontade impulsiva.
  • Pela prática da Tenepes temos insights sobre nossa missão de vida, proéxis (programação existencial);
  • Vivenciar estado homeostático de energia quando acoplado com amparador. Talvez você não entenda o que é isso de estado homeostático, mas grosso modo significa que quando um amparador acopla conosco temos a possibilidade de ir para um estado mental mais saudável. Mas o que é acoplar? De forma rápida significa o processo quando “unimos” nossos corpos sutis com uma outra pessoa, uma outra coisa, idéia, ser de outra dimensão etc. Para todas essas coisas tem técnica específica.
  • Adquirir estrutura holochacral assistencial ou estofo energético para suportar um número cada vez maior de consciexes enfermas dentro da psicosfera pessoal sem nos deixar pertubar;
  • A tenepes favorece as projeções lúcidas (viagem astral, desdobramento);
  • Bônus: Vivenciar extrapolações parapsíquicas as mais diversas;
  • Ao movimentar as energias promovemos desbloqueios energéticos melhorando nossa saúde física;
  • Com o tempo vamos ganhando um maior autocontrole emocional;
  • Melhor percepção do ambiente pois como desenvolvemos um parapsiquismo conseguimos entender um pouco mais o que está acontecendo. Nos obrigamos a perceber as forças que estão agindo no local;

BELEZA, MAS COMO É A TÉCNICA? COMO É QUE FAZ?
Não tem um procedimento fixo
pois é individual.

O ideal é um ambiente preparado só para a Tenepes. Ar-condicionado, poltrona, mesa, papel e caneta. Mas a realidade econômica da maioria das pessoas não permite ter seu “tenepessarium”. Então, se faz a Tenepes numa cadeira ou mesmo na cama, no quarto onde dorme. Lembrando que a regra é estar fisicamente sozinho. Ser um lugar sem passa-passa de gente ou bicho.

Sentar é melhor que deitar pois tem gente que deita e logo dorme.

Depois de sentar, damos passividade alerta para o amparador e aí acontece. Passividade alerta é um estado de calmaria, tranquilidade, você sossega a mente. Não necessariamente um estado ampliado de consciência mas pode sim acontecer tal estado. Você “abre”, “cede” seus veículos de manifestação, seus corpos para o amparador. Ele entra, acopla, assume a direção num processo chamado de “semi-possessão benigna”. Mas também pode ocorrer a possessão total.

Mas não é só sentar e sair jogando as energias ao vento e deixar o amparador assumir. Veja abaixo o que é preciso.

É TODO MUNDO QUE PODE FAZER TENEPES?
Poder pode. Mas não deve.

Diz o Manual da Tenepes que a Tenepes NÃO é para a maioria da população. A Tenepes tem muitos requisitos que listo abaixo. Listo abaixo os casos óbvios de quem NÃO deve praticar a Tenepes. Daí entendemos que de fato é para poucos.

  • Não pode praticar Tenepes quem só pensa em si.
  • A Tenepes exige o praticante não pensar mal de ninguém. (Manual, pag. 19) Só esse requisito já tiraria muita gente da lista de candidatos. Seguimos essa regra como uma meta, como um objetivo a alcançarmos.
  • O místico que mantém altar em casa.
  • Aquele que cultiva gurus. (Manual, pag 53)
  • O religioso convicto que não tem interesse em desapegar de suas crenças e dogmas.
  • O cético que em nada acredita. Principalmente os que não acreditam que a consciência não morre, e não acredita que existe reencarnação.
  • O casca grossa que não sente nenhuma energia, seja por falta de interesse seja por estar cheio de bloqueios.
  • Os que sentem energia mas ainda são calouros quanto ao parapsiquismo (Manual, pag 51)
  • Quem não tem um grau mínimo de domínio do estado vibracional (EV)
  • A pessoa obviamente suceptível a assédios e descontrole emocional. Nesse caso melhor buscar uma terapia adequada.
  • Quem usa drogas.
  • Quem vive ávido por sensações instintivas, normalmente os mais jovens de 35 anos (Manual, pag, 51)
  • Motociclista. Isso mesmo, motociclista não deve fazer. Também quem voa de asa delta ou gosta de saltar de para-quedas (Manual, pag 53/54). Tem toda uma explicação fundamentada na evitação de práticas de risco que não vou desenvolver aqui.
  • Fumantes. (Manual, pag 53). Pois esses tem sérios bloqueios energéticos que inviabilizam a prática.
  • O pessimista. (Manual, pag 53)
  • Quem tem vida sedentária. (Manual, pag 53)
  • Quem sofre de bulimia. (Manual, pag 53)
  • Quem frequenta noitada (Manual, pag 54).
  • Quem tem armas em casa, no lazer ou na profissão. (Manual, pag 54)
  • Quem toma remédio para depressão. (Manual, pag 54)
  • A pessoa com a vida bagunçada. Organize a vida antes.

Assim finalizamos a lista de quem NÂO pode praticar.

E os que PODEM praticar a tenepes, o que é necessário?

O primordial é ter boa intenção. Querer o “bem maior” para todos. Querer ajudar. Isso é o principal. Mas vamos a uma lista mais formal dos requisitos:

  • Quem já tem algum grau de auto-conhecimento energético parapsíquico, que sabe movimentar as energias, que sabe promover uma auto-limpeza energética (desassimilação) e que seja capaz de mapear a sinalética energética.
  • Quem já tenha algum domínio satisfatório da prática do Estado Vibracional. Se a pessoa não sabe nem o que é o estado vibracional não deve fazer a Tenepes.
  • Quem tem senso de prioridade pois é um compromisso diário, sem final de semana, datas comemorativas, férias ou feriados. Mesmo em viagem, deve parar a diversão e na hora combinada, em um cômodo adequado fazer a prática.
  • Conhecer na prática as possibilidades energéticas da assistência interconsciencial.
  • Estar ciente que a Tenepes é 24 horas. Ou seja, você tem aquela horinha ali da Tenepes em casa mas a iscagem acontece a qualquer hora do dia, em qualquer lugar que você estiver. Todo momento é oportunidade para assistência. Não é você que escolhe a hora que vai iscar uma consciex enferma, um espírito doente. Novamente, mais abaixo no post tem um ótimo PDF que detalha a iscagem.
  • Para praticar a Tenepes tem que entender ou buscar entender o princípio da descrença.
  • Precisa entender o princípio do exemplarismo pessoal.
  • É fundamental que você esteja sintonizado com a Tenepes da conscienciologia. Ou seja, ter conversas sobre o assunto com praticamentes mais experientes, ler livros e artigos e assistir vídeos relacionado à Tenepes. Waldo Vieira recomenda que você faça o curso ECP1 e ECP2. Não é obrigatório fazer esses cursos. É uma recomendação. Conheço várias pessoas que não fizeram o ECP1 ou ECP2 e praticam Tenepes. Existe dinâmicas para isso e laboratórios para você ver como é antes de tomar a decisão de iniciar. Isso tudo vai te colocando dentro do holopensene da conscienciologia e te dando subsídios para decidir se vai dar início à prática.
  • A conduta ideal para se praticar a Tenepes inclui eliminar amizades ociosas e os idiotismos culturais.
  • Inclui ser capaz de eliminar os bagulhos energéticos da casa e eliminar os pequenos atos anticosmoéticos. Nesse dois últimos quesitos confesso que ainda preciso melhorar 😦

ERROS COMUNS. ENTENDEU ERRADO.
Os erros mais comuns dos que praticam estão listados abaixo:

  • Os atrasos no horário. Falhar e não comparecer. Esse daqui é o erro campeão. Tão difícil para nós brasileiros vencer esse traço de nossa personalidade.
  • Tenepes requer esforço. Vontade íntima. Não é meditação para relaxar e aliviar a barra do dia.
  • A mania de tentar queimar etapas sem a devida competência. Por exemplo: iniciar a Tenepes queimando a etapa do domínio do EV.
  • Leitura superficial do Manual da Tenepes. Leu de qualquer jeito.
  • Iniciar a prática sem observar os pré-requisitos que estão no Manual da Tenepes.
  • O cansaço físico e mental. Minha Tenepes é a noite. Chegar no final do dia com energia é difícil. Requer ajustar todos os compromissos, ter horário, ter uma vida toda certinha. Acho que a palavra aqui é: Saber dosar. É difícil. Ainda não consegui resolver essa questão 100% e tem dia que chego cansado na Tenepes. Está errado.
  • Vida aperriada, sem controle mental gerando devaneio nas sessões. É preciso conseguir desligar de todos os assuntos. Aqui em casa adotei uma política com minha esposa de 1 hora antes da tenepes selecionamos com cuidado os assuntos que conversamos para não me deixar preocupado na hora da Tenepes.
  • Ausência de autorreciclagem. Ou seja, o camarada faz a Tenepes e fica nisso. Não promove a tal da reforma íntima.
  • Fica doente e acha que não deve praticar a Tenepes
  • Expectativa equivocada pelo show fenomênico. Pois é, não há garantia que você vai ter extrapolações e visões. O objetivo da Tenepes é outro. Os amparadores podem dar uma “colher de chá” para você. Mas se você não sente as energias, se não percebe o estado de sua mentalidade e emoções procure as inúmeras técnicas complementares disponíveis e gratuitas para desenvolver o parapsiquismo. Conseguir desenvolver clarividência, telepatia ou outras competências parapsiquicas é interesse e responsabilidade sua, não do amparador. Comigo tem sido assim: alguns dias acontecem verdadeiros shows fenomênicos, outros dias não. Mas todos os dias, fora da sessão de Tenepes percebo minha mentalidade evoluindo. Percebo situações. Percebo iscagens. E percebo que quanto mais me esforço para desenvolver as habilidades mais vou tendo lucidez mental e parapsíquica.
  • Movimentar as energias APENAS no horário da tenepes é um erro. Aprendi numa sessão de tenepes (e não num livro ou curso) que ao movimentarmos as energias durante o dia estamos “batendo a poeira” da energia ruim que se acumula durante o dia. E como sou novato não posso deixar a coisa engrossar. Tenho que eliminar o “dragão” enquanto ele é filhote.
  • Querer controlar a sessão é outro erro comum. Quem controla a sessão é o amparador. Nós somos mini-peça. Nesse aspecto eu vejo alguns colegas contando suas experiências e tenho que testemunhar que muitos querem controlar a sessão. É um erro.
  • Escolher quem serão os assistidos na sessão é mais outro erro comum. Novamente, quem controla é o amparador. Podemos até sugerir um nome ou outro, mas no final das contas quem decide é ele.
  • Dizem que é um erro manter vínculo com linhas de conhecimento místico. Acho a recomendação um tanto quanto genérica e preconceituosa. Creio existir vínculos saudáveis e vínculos doentios, negativos.

REFERÊNCIAS EXTERNAS

  • A referência externa mais importante é o Manual da Tenepes. Clique aqui para baixar o arquivo em pdf (4.5 MB)
  • O artigo “Sinergismo Tenepes–Iscagem Assistencial Lúcida” de Oscar Petersen é muito bom. Recomendo para todos os terapeutas que querem entender o que é iscagem lúcida. Clique aqui para baixar em pdf (500 KB).

VÍDEOS SELECIONADOS PARA TE ECONOMIZAR TEMPO

Esse primeiro vídeo é mais longo que os demais, não precisa assistir até o fim pois aborda outros temas. Fiz questão de incluí-lo na lista pois nele, Saulo Calderon faz um depoimento contrário a Tenepes. Saulo é um projetor lúcido bem conhecido no cenário nacional. No vídeo ele revela porque ele mesmo optou por NÃO fazer tenepes. E porque ele também acha que Tenepes não é para todos.

Eu posso começar a tenepes? (8 minutos)

Os 6 primeiros meses da Tenepes (5 minutinhos)

Desistir da Tenepes e consequências (curtinho 5 minutos)

PRÉ-TENEPES. O mais importante para começar (curtinho 4 minutos)

Tenepes e projeção fora do corpo. (também curtinho. 5 Minutos)

Porque AUTODISCIPLINA e perceber as novas idéias que surgem (9 minutos)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s