Livro: Introdução às religiões Chinesas

O motivo principal de listar esse livro em nosso site é que ele contribui para construção de uma base conceitual. Essa base nos ajuda a entender as práticas holísticas orientais que já estão difundidas por todo Brasil.

O título “Introdução às religiões chinesas” contém a palavra “Introdução” que tem o sentido de não necessitar de conhecimentos anteriores para lê-lo. Mas, diferente de uma mera introdução, ele não fica na superficialidade e ao final o leitor já terá se adentrado em idéias mais completas, mais amplas. Isso acontece graças a uma abordagem das dimensões filosóficas, políticas e socioculturais.

O autor passa pelas principais religiões da era pré-moderna até os dias atuais, tópico esse que não se acha em todos os livros.

“Introdução às religiões chinesas” trata não apenas das religiões de origem chinesa, mas também das religiões que ingressaram na China e ali tiveram implicações, tais como o budismo, o cristianismo e o islamismo. Este é um outro diferencial do livro. Ele não apresenta as religiões chinesas como um saber estático mas sim como uma evolução resultante das influências mútuas entre essas religiões estrangeiras.

Apesar do foco principal ser as linhas mais tradicionais – Taoísmo, Budismo e Confucionismo – achei bem interessante o autor incluir o que ele chama de “Religião Popular”. Religião Popular é a resultante de como o povo em geral, ali na base da pirâmide, absorve esses ensinamentos que sempre surgem de alguma elite econômica, intelectual ou monástica. Para mim foi muito interessante pois a população chinesa interpreta os ensinamentos sem tanto rigor exatamente assim como acontece no Brasil. Misturam tudo, uma verdadeira salada de frutas.

Outra curiosidade é encontrar “confucionismo” na lista de religiões. Na China, as religiões, filosofias, medicina e política andaram muito tempo de mãos dadas. No caso do confucionismo, a influência foi tão grande que não pode ser deixado de fora.

O livro é perfeito. Minha única insatisfação foi que o autor não deu a devida atenção a Zhou Dunyi. Ao meu ver, Zhou Dunyi foi um dos grandes sábios da história. Conseguiu unir e dar novas interpretações daqueles conceitos e textos poéticos das principais escolas chinesas. Talvez tenha ficado de fora pois o autor tem formação budista. Zhou Dunyi é um divisor de águas. O entendimento geral do que é Dao, Tai-chi, transformações de energia, vem dele. Falaremos de Zhou Dunyi num post futuro. Ele merece 🙂

Sobre o autor
Mario Poceski é professor de história das religões chinesas em universidades de Iowa e da Flórida nos EUA. O livro é resultado de sua experiência como professor. Mario Poceski nasceu na Macedônia. Foi monge budista. Tem passagens por universidades na Alemanha, Japão e Cingapura. O livro chega ao Brasil graças ao trabalho da tradutora Márcia Epstein.

Público alvo
O livro foi escrito para um público acadêmico. É um livro de história, filosofia e política. Não é um livro que lhe ensinará técnicas meditativas ou que discorrerá sobre estados alterados de consciência, muito menos de acupuntura ou saúde holística.

O livro não é o único no assunto e arrisco dizer que o livro “Religiões da China”, de Joseph Adler, seja um bom substituto caso não mais encontre este nas prateleiras.


Livro: Introdução às religiões chinesas
Autor: Mario Poceski
363 páginas
Ano: Original em inglês 2009, traduzido para o português em 2012
Editora: Unesp (editoraunesp.com.br)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s